Vitória e Santa Cruz: mais dois nordestinos na elite do futebol brasileiro

Imagem: Sobreisso
Imagem: Sobreisso

Duas equipes de tamanha grandeza, não só na região Nordeste, como no país. Suas torcidas apaixonadas, apesar das dificuldades que foram apresentadas no início, mostaram como podem fazer diferença. O Vitória, após disputar a Série A de 2014, tinha 2015 o objetivo de voltar logo. Mas como fazer isso diante de adversários fortes como Botafogo, América-MG, Criciúma, Ceará (por ter sido campeão do Nordeste) e, claro, seu maior rival Bahia? E o Santa Cruz? Seria seu segundo ano seguido na Série B. Teria forças para conseguir algo lá na frente?

Imagem: Google
Imagem: Google

O início foi com algumas irregularidades para as duas equipes, principalmente para o lado Tricolor de Pernambuco. No início da competição, o técnico era Ricardinho. Porém só durou até a sétima rodada. O time, ocupava a décima oitava posição e apenas cinco pontos. Mesmo na sétima rodada, a zona de rebaixamento já incomodava o time pernambucano. A solução seria a volta de um velho conhecido. Marcelo Martellote.

Como atleta, fui campeão pernambucano em 1993, conquistei o acesso à Série A em 1999 e há dois anos conquistei aqui meu primeiro título como treinador. Sabemos da situação de dificuldade que o clube vive na classificação, mas temos tempo para reverter. Espero ter sucesso mais uma vez e alcançar nosso principal objetivo que é estar no G-4 no final do ano.A frase acima foi dita pelo Martellote em sua apresentação, no dia 15 de junho. Desde a sua chegada até o último final de semana, o time de brigando por não cair passara a brigar por subir. A torcida, claro, jamais havia deixado de apoiar. A chegada do ídolo Grafite foi mais um “up” para o sonho do principal objetivo. Atletas que nós potiguares vimos, faziam parte do elenco. Bileu, que muitos aqui não gostavam nos tempos de ABC e é banco no time pernambucano, fez um dos gols na vitória do acesso do time. Daniel Costa, que por uma vez ou outra entrava pelo América, subiu como titular e uma das peças importantes para o time de Martellote.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Já o Vitória teve um começo de temporada meio turbulento. Porém, era um dos fortes candidatos a conquistar a vaga. Só que, em seis meses, foram três treinadores. Primeiro com Ricardo Drubscky, depois Claudinei Oliveira e por fim, Vagner Mancini. Coincidência ou não com o Santa Cruz, o Rubro-negro baiano apostou em um velho conhecido. E aí, o time foi ganhando o seu jeito na competição. Um velho conhecido do futebol potiguar também fez parte do time do acesso. Tudo bem, foram apenas 20 minutos durante toda a Série B, mas Norberto (veio com troca para o time baiano – Ednei foi para o Coxa) tem o nome registrado.

Mais do que isso, os clubes farão companhia ao Sport, que se manteve bem e até brigando pelo G4, como os representantes nordestinos na Série A. Talvez o Campeonato do Nordeste tenha começado a dar os primeiros frutos. Com tudo, Vitória e Santa Cruz se tornam exemplos de que, mediante as dificuldades que a vida pode oferecer durante um objetivo, nunca é tarde  para desistir. E se você tiver alguém que esteja ao seu lado que agregue mais ainda (no caso dos clubes, a torcida), com foco e determinação, a conquista vem.

Parabéns Esporte Clube Vitória!

Parabéns, Santa Cruz Futebol Clube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *