Wallyson: exemplo de como investidores e representantes podem liquidar uma carreira

Sem jogar profissionalmente desde os primeiros meses do ano, Wallyson tornou-se um caso emblemático de como as brigas de interesses entre investidores e procuradores podem prejudicar a carreira de um atleta. Na temporada 2015, Wallyson jogou poucas partidas com a camisa do Coritiba e marcou apenas um gol. O pior desempenho de sua carreira profissional.

Colocado à margem do elenco principal do Coxa com a chegada de Ney Franco – foi seu técnico no São Paulo – Wallyson viu diversas propostas passando na sua frente.  O interesse primordial do “mago” era retornar para Natal e jogar pelo ABC na Série B, abrindo a possibilidade de ficar ao lado do filho durante alguns meses. “Estou há sete anos longe de Natal, da família, Henri está crescendo e preciso estar por perto”, me confidenciou em uma das tantas conversas que tivemos.

Depois de semanas e semanas de impasse, os investidores chegaram a comunicar o atacante da decisão de liberá-lo para atuar no ABC. Mas, a alegria durou poucas horas. Na manhã seguinte o cenário era outro e o grupo não quis mais liberar o artilheiro da Copa Libertadores 2011 para o clube que o revelou no cenário nacional.

Desde então, diversas propostas chegaram, mas nenhuma teve um denominador comum entre as três partes. Quando um queria, os demais não. Assim os meses foram passando, a temporada andando e Wallyson sem jogar. Terminou a temporada jogando poucas partidas e até bem pouco tempo apenas treinando no Coritiba.

Aos 27 anos, mais maduro e experiente, Wallyson terá que recomeçar do zero e mostrar ao mundo da bola que ainda é aquele matador do Cruzeiro, do ABC e das jogadas em velocidade.

Na próxima temporada, o destino de Wallyson é um mistério. O contrato com o grupo HAZ – que filia seus atletas ao Deportivo Maldonado do Uruguai – termina neste fim de ano.

Tudo indica que a partir de janeiro Wallyson esteja livre para decidir. Detalhe: para ele mesmo decidir onde quer jogar, sem interferências.

Ainda assim, o prejuízo é incalculável na carreira de Wallyson. Mas, ele ainda tem tempo de voltar a brilhar e dar muitas alegrias aos torcedores.

Precisa resolver de uma vez este impasse entre representantes e investidores.

One thought on “Wallyson: exemplo de como investidores e representantes podem liquidar uma carreira

  1. Na minha opinião a carreira de Wallysson vem descendo a ladeira a pelo menos três temporadas, contusões e escolhas erradas na sua carreira foram essenciais para essa queda, acredito que os erros são dos investidores, mas também do próprio jogador, que podendo eu estar errado, ele meio que se acomodou com sua situação e quem não é visto não é lembrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *